Menu

Estratégia de segurança foi testada durante sorteio final na Costa do Sauípe

Após as cenas de violência que ocorreram neste domingo (8), nas arquibancadas da Arena Joinville-SC, durante o primeiro tempo do jogo entre Atlético-PR e Vasco da Gama, pelo Campeonato Brasileiro, a FIFA garantiu que o sistema de segurança da Copa do Mundo 2014 será diferente do modelo utilizado normalmente no Brasil.

"Para a Copa do Mundo de 2014, um conceito de segurança completo está implementado em uma operação integrada entre autoridades de segurança pública e privada para garantir a segurança para torcedores, jogadores e qualquer outro ator envolvido no evento", explicou a entidade, por e-mail, à imprensa.

O modelo de segurança citado pela Fifa já pôde ser visto durante o evento do sorteio final dos grupos, que aconteceu na última sexta-feira (6), em Costa do Sauípe-BA. A estratégia reuniu forças da segurança pública local e nacional, com suporte de monitoramento de alta tecnologia, exatamente o mesmo modelo que será implantado nos estádios durante os jogos da Copa 2014. “A tecnologia de ponta tem importância fundamental para a proteção dos torcedores e autoridades presentes nas partidas”, salienta Renato Werner, presidente da empresa mineira Polsec, que foi responsável pela aplicação da tecnologia na estratégia de segurança realizada na Costa do Sauípe, e também durante os eventos e jogos da Copa das Confederações deste ano.

O conceito de segurança aprovado pela Fifa abrange equipamentos de última geração, capazes de rastrear e detectar qualquer intruso, invasão ou ação suspeita. As imagens serão monitoradas e observadas pelas autoridades de segurança presentes em cada estádio, que já terão um esquema articulado para combater possíveis conflitos durante os jogos. Além disso, a estratégia conta com sistema de identificação facial, que reconhece suspeitos em tempo real e estabelece níveis de similaridade da pessoa observada com suspeitos do banco de dados das polícias civil, militar e federal, e também da Interpol.

Taça do Mundo– Objeto de desejo das seleções participantes da Copa do Mundo, a Taça também requer estratégia de segurança com alta tecnologia. O troféu de ouro, que será entregue ao campeão da Copa de 2014, esteve em Sauípe, sob forte esquema de monitoramento e proteção, realizado por um Observador - aparelho portátil com transmissão ao vivo e inteligência artificial.   “O Observador foi escolhido para fazer a proteção da Taça porque, além de detectar suspeitos, possui um vídeo analítico avançado, que cria um perímetro da área pré-determinada e dispara o alarme, caso alguém ultrapasse a linha”, detalha o presidente da Polsec, Renato Werner.
 
Topo