Menu

Espaço do evento será monitorado com tecnologia de ponta e mega operação.
Forças policiais adotam estratégias integradas para proteger autoridades em Sauípe.
Segurança será teste para os jogos da Copa do Mundo em solo brasileiro.

O sorteio dos grupos da Copa do Mundo de 2014, que acontecerá na tarde desta sexta-feira (6), em Costa do Sauípe, na Bahia, terá esquema especial de monitoramento para a proteção de toda a área do evento e das autoridades que estarão presentes na ocasião. A estratégia envolverá um sistema integrado entre oficiais do Exército, da Marinha, Aeronáutica, Polícia Rodoviária Federal, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), além das Polícias Civil e Militar da Bahia.

Os profissionais envolvidos no esquema de segurança estão em Sauípe há dez dias, fazendo um estudo de riscos e determinando o posicionamento de câmeras e demais equipamentos que serão utilizados para monitorar o evento. A estratégia adotada para o sorteio realizado hoje já é um teste de segurança para os estádios durante a Copa do Mundo. “Essa mesma tecnologia que estamos usando aqui será aplicada durante os jogos”, revela Renato Werner, presidente da Polsec, empresa mineira responsável pela aplicação de tecnologia e de todo o operacional da parte eletrônica para proteger as áreas que cercam o local do sorteio.

A área do evento, que aguarda a presença da presidente Dilma Rousseff, e outras autoridades do Brasil e de todo o mundo, além de grandes personalidades como o ex-jogador Pelé, já está sendo monitorada desde ontem (5), por um Aerostato, equipamento que fica preso em uma espécie de balão, no centro do complexo de Sauípe, e faz a filmagem aérea de todo o perímetro do espaço, com câmera diurna e térmica, que é capaz de captar o calor durante a noite. “É a mesma câmera utilizada em aeronaves de guerra. Ela permite um registro de 360º, 24h por dia”, explica Renato.

Além disso, algumas áreas estão sendo monitoradas por um Observador, aparelho portátil com transmissão ao vivo e inteligência artificial. Segundo Werner, a taça que será entregue à seleção campeã da Copa de 2014 está guardada em um cofre, em Sauípe, sob a proteção deste equipamento. “O Observador foi escolhido para fazer a proteção da Taça porque, além de detectar suspeitos, possui um vídeo analítico avançado, que cria um perímetro da área pré-determinada e dispara o alarme, caso alguém ultrapasse a linha”, explica.

Somente para o sorteio, foram necessários 22 km de cabo, trazidos de São Paulo, para serem utilizados nos equipamentos de segurança. Outra estratégia adotada é a detecção de suspeitos através da identificação facial. As câmeras instaladas em locais estratégicos são sincronizadas e serão capazes de identificar um suspeito em tempo real, estabelecendo automaticamente níveis de similaridade da pessoa observada com suspeitos do banco de dados da Interpol. “Ninguém passará despercebido hoje. Toda a estrutura montada é interligada e as imagens vão direto para a Central de Comando e Controle, montada no local”, afirma o presidente da Polsec.

A empresa também foi responsável pelo fornecimento da alta tecnologia utilizada no esquema de segurança durante os eventos e jogos da Copa das Confederações, deste ano. Para hoje, além do aparato de proteção terrestre, o evento contará com segurança marítima. Embarcações da Marinha já estão posicionadas ao redor do complexo hoteleiro, na Bahia, e também farão transmissão e monitoramento da área.

O evento, que está marcado para começar a partir das 14h (horário de Brasília), desta sexta-feira (6), reunirá diversas autoridades e pessoas ligadas ao cenário do futebol, atraindo olhares do mundo inteiro. O sorteio definirá os adversários da Seleção Brasileira e das 32 seleções que participarão do campeonato mundial, no próximo ano, em terras brasileiras.
 
Topo